Bíblia Insólita

Minha Visão Teológica, Filosófica e Científica

Posts Tagged ‘animais

Gênesis 2

with 2 comments

adam-and-eve1,2, 3 Deus acabou de fazer o mundo no sexto dia e descansou no sétimo e por isso o abençoou.

_Ufa, que trabalhão, vou descansar porque estou pregado. Bem, já que eu sou todo poderoso, eu nem devia descansar, mas pelo visto até eu fico cansado. Vou abençoar esse dia com certeza, vocês viram, até eu canso. Preciso de alguém para cuidar das minhas plantas, um jardineiro. Vou fazer alguém usando aquele barro ali, aí, minhas plantinhas vão ficar uma gracinha. Basta eu fazer uma estátua de barro e soprar no seu nariz e pronto, homem instantâneo. Lógico que como sou onipresente podia cuidar das plantas, mas não teria graça, melhor fazer um jardineiro.

4,5,6,7: Deus fez o jardineiro do barro para lavrar a terra, pois as plantas precisavam de chuva e de um jardineiro. Como ele foi feito da terra vermelha, Deus o chamou de Barrinho Vermelho (Adão).

8,9: Agora que Deus já tinha seu jardineiro, então nada melhor que fazer o jardim, portanto, no Éden, Ele fez seu jardim e colocou Barrinho Vermelho para cuidar dele. Lá, havia todo tipo de árvore, mas as principais eram duas, a da vida e a do conhecimento entre o bem e o mal.

—Eu sou todo-poderoso, mas pelo visto eu preciso de jardim e de um jardineiro. Acho que estou fazendo isso porque viver eternamente sozinho coçando o saco é muito monótono. Haja saco! Mas vou tornar o jogo interessante, vou colocar essas duas árvores no jardim só para ver o que o jardineiro vai fazer. Eu já sei o que ele vai fazer, já que sei tudo, mas é gostoso ver o negócio se desenrolar. Apesar de para mim ser uma reprise, quando o filme é bom, é gostoso ver duas vezes.

10 até14: Um rio saia do Éden e virava 4, que são Pison, Giom,Tigre e Eufrates.

15 até 17: Deus pegou seu jardineiro e mandou-o cuidar do jardim, dizendo— Barrinho, pode comer as frutas de qualquer árvore, menos da do conhecimento entre o bem e o mal, se você comer, morre. Nem queira saber por que a árvore da morte é chamada de “Árvore do Conhecimento entre o Bem e o Mal”. Eu sou Deus e chamo as coisas do que eu quiser. (Ao falar isso, Deus deu uma risadinha interior, pois Ele sabia que na primeira oportunidade, o homem ia se empanturrar com o fruto da árvore. Que a brincadeira começasse!)

18 a 20: Deus pensou, – Caramba, é muito trabalho, vou fazer alguém para ajudar meu jardineiro.

Aí, Deus pegou seu barrinho mágico e fez todos os animais. Tanto os animais terrestres quanto os pássaros. Deus começou a trazer os animais para Adão e pediu para ele dar nome a todos. Demorou mais ou menos uns 5000 anos, só para dar nome a todos os animais da terra, e olha lá, porque tem animais pacas. Ou talvez foi só os animais do jardim. Vá saber.

O jardineiro deve ter testado todos os animais, mas não achou nenhum ajudante adequado. Vá ver que ele não sabia usar arado, o boi seria interessante, e ovelhas são usadas por homens para umas coisinhas até hoje, mas pelo visto, a ovelha não fez tanto sucesso. A chita deve ter ficado pê da vida, mas o jardineiro não quis a macaca também.

21-23 Deus pensou— Pelo visto, meu jardineiro, o Barrinho Vermelho (Adão), não quer que nada que veio do barro, como ele, o ajude. Vou apelar para outra coisa.

Depois de pensar isso, Deus olhou para Barrinho e ele caiu no sono (Ainda bem que caiu numa moita macia). Deus foi até ele, arrancou sua costela e dela, Ele fez uma ajudante para Barrinho.

Não demorou muito, o jardineiro acordou e viu aquele ser diante de si. E Deus foi logo explicando — Essa aí eu não fiz de barro não, Barrinho. Eu a arranquei de você mesmo, por isso eu o fiz cair no sono, para eu tirar um pedaço seu para fazê-la. Já que você não gostou de nenhum dos seres que eu fiz de barro, como você, então, talvez algo feito de você mesmo você goste. Vamos lá, dê um nome a ela igual você deu a todos os animais que você rejeitou como ajudante.

Aí, Barrinho olhou com os olhos esbugalhados e disse — Agora sim! Achei que você não ia conseguir nunca fazer um ajudante apropriado, Senhor.

Deus fez cara de poucos amigos com a observação, mas não disse nada, “moleque atrevido”, pensou.

Barrinho continuou — Essa aí saiu dos meus ossos e da minha carne. Eu sou vivo, ela saiu de algo vivo e não de algo morto como o barro, sendo assim, vou chamá-la de Vida (Eva).

24 Diz o verso aqui que o homem vai largar o pai e a mãe e ficar com sua esposa, já que são feitos da mesma carne. Como Barrinho e Vida não tinham pai nem mãe, então, largariam aquilo mais próximo ao termo, Deus, ou seja, quando Deus fez Vida da costela de Barrinho Vermelho, ele já sabia que os dois iam seguir seu destino sem Ele do seu lado o tempo todo. Afinal, Deus é onisciente, então, Ele já sabia no que ia dar tirar vida de vida e não do barro. Assim, o jogo estava seguido conforme planejado.

25: Aí, Barrinho e Vida saíram brincando, totalmente pelados, no jardim. Totalmente inocentes. O homem dava tapa na bunda da mulher e não achava nada de errado nisso. Ela pegava sua protuberância abaixo da barriga e puxava e ele achava engraçado. Ele agarrava os seios dela e mordia e ela achava o maior barato.

Deus olhava o espetáculo e achava “da hora”. Mas ele sabia no que ia dar muito em breve. Afinal, Deus sabe tudo.

Written by jmsilv

26 de fevereiro de 2009 at 21:54